domingo, 30 de setembro de 2007

FILME TROPA DE ELITE



Algum tempo temos pensado o que postar sobre o super badalado filme “Tropa de elite”? Surgiram algumas opções, como dizer que se este é o exemplo de elite da atualidade então estamos todos ferrados e mal pagos, ou recortar uma das diversas reportagens e entrevistas que tem saído na imprensa.
Contudo, a melhor solução para este dilema foi dar uma boa vasculhada nos blogs da militância em busca de algo melhor. A escolha foi certeira com a charge acima. De certa forma ela resume muitas coisas que a grande mídia aparentemente ainda não abordou.
Retirada do Blog MARCO NEGRO. Vale a pena dar uma visitada nele e ler o texto que acompanha a charge.

SEMANA DA ARTE MODERNA DA PERIFERIA - DE 04 A 11.11 EM SP

Postado e sugerido inicialmente no Blog GRIOT ELETRONICO

O escritor Oswald de Andrade, um dos líderes da Semana de Arte Moderna de 1922, fez uma profecia: "a massa ainda comerá do biscoito fino que fabrico". Morreu sem vê-la realizada. Oitenta e cinco anos depois do marco do movimento modernista, Sérgio Vaz, poeta da periferia de São Paulo, pretende comer o biscoito fino, o próprio Oswald, o Bispo Sardinha, a "elite que viaja para Miami" e mais alguma coisa. E depois, diz ele, "vomitar". Líder da Cooperifa, o maior sarau de poesia do Brasil, Vaz é o idealizador da Semana de Arte Moderna da Periferia, a Semana de 2007. De 4 a 11 de novembro, os artistas querem "provocar" o centro onde o destino do país é forjado – e onde também se determina o que é arte. Se fosse vivo, o modernista Oswald possivelmente teria um sorriso nos lábios ao ser devorado pelos antropófagos das margens de São Paulo.

A força da Semana de 2007 vem da primeira geração de escritores da periferia, forjada à margem da escola, na legião dos sem-museu, sem-cinema, sem-teatro, sem-biblioteca. Pela primeira vez, o Brasil tem não um, nem dois autores, mas um movimento literário nascido nas margens. Seus protagonistas se identificam pela origem, marcam essa diferença e buscam uma estética fundada nessa raiz. Eles se apropriaram de um código da elite – a palavra escrita – e começaram a escrever sua versão da História. Agora, preparam-se para sacudir o marasmo cultural de um país que viu muito pouco de original desde o tropicalismo dos anos 60.

“Antes eram os intelectuais que escreviam sobre a periferia. Hoje, alguns dizem que não sabemos escrever. Estamos chegando agora pra aprender, depois de 500 anos”, diz Sérgio Vaz, de 43 anos. “A arte sempre foi o pão do privilégio. Agora é servida no café-da-manhã da periferia. Com menos manteiga, talvez, mas arte. Nossa literatura tem menos esses, menos crases, mas é literatura. Agora que escrevemos sobre nós, o que os intelectuais vão fazer? Que comam brioches!”


1) Sérgio Vaz, 2) Jairo, 3) Sales, 4) Gunnar, 5) Wéley Noog, 6) Ademir, 7) Cocão, 8) Ana Bela, 9) Marcelo, 10) Mavortirc, 11) Juliana, 12) Robson Canto, 13) Casulo, 14) Preto Will, 15) Ricarda, 16) Rose Dorea, 17) Tadeu, 18) Euller, 19) Roberto, 20) Jair Guilherme, 21) Wagner Felipe, 22) Marcio Batista, 23) Lerói, 24) Anderson, 25) Vicente


Mais uma provocação. O antropófago da periferia vive na última de uma tripa de casas nos arredores de Taboão da Serra, na Grande São Paulo. Deixou uma carreira de auxiliar de escritório para ser poeta no Brasil. Vendeu 5 mil livros de poesia sem editora e sem livraria, de mão em mão. Só o quinto – Colecionador de Pedras (Global) – chegou ao mercado. Em 2001, Vaz criou a Cooperativa Cultural da Periferia (Cooperifa) ao ocupar uma fábrica abandonada para fazer um evento de arte. Já estava tentado pela Semana de 1922.

O sarau da Cooperifa passou de bar em bar até achar seu lugar no boteco do Zé Batidão, na zona sul de São Paulo. “Na periferia não tem museu, tem boteco”, diz Vaz. “Então transformamos o Zé Batidão em centro cultural.” Toda quarta-feira, três centenas de cidadãos periféricos ali desembarcam depois de um dia de trabalho duro para fazer e ouvir poesia. “Povo lindo! Povo inteligente! É tudo nosso!”, diz Vaz, abrindo a noite. E o boteco vem abaixo, a multidão se espalha pelas ruas. É tudo deles, sim.

A Semana de 2007 começou a nascer nessa esquina, pelas mãos ásperas de poetas sem berço. Seu primeiro ato será uma caminhada dos artistas pela periferia. Nada vai acontecer no centro. Quem quiser conhecer o que se passa nas bordas de São Paulo terá de inverter o tráfego. Os grupos Manicômicos (teatro), Arte na Periferia (cinema), Espírito de Zumbi e Umoja (dança) são alguns dos autoproclamados “focos de resistência” que tentam fincar sua estética em ruas onde antes só corria esgoto. “Escolhemos um símbolo da elite paulistana pra provocar. Vamos à casa grande mexer com eles”, diz Vaz. “Que seja o estopim.”

Para ler a integra clique aqui.

sábado, 29 de setembro de 2007

LIVRO: "À Flor da Terra: O Cemitério dos Pretos Novos no Rio de Janeiro"

No dia 25 de setembro, no arquivo público da cidade do Rio de Janeiro, houve o lançamento do livro "À Flor da Terra: O Cemitério dos Pretos Novos no Rio de Janeiro" de Júlio César Medeiros da Silva Pereira. A publicação foi um prêmio pelo primeiro lugar no Concurso de Monografia Arquivo da Cidade de 2006. Fruto da sua dissertação de mestrado o autor pesquisou como era o enterro dos escravos no cemitério que funcionou de 1722 a 1830 na atual região da Gamboa que abriga os bairros da Saúde, Santo Cristo e os Morros da Previdência e da Conceição. Mais especificamente na casa de nº 36 onde, em 2000, a família que vivia nesta casa achou diversos ossos enquanto realizava escavava o chão para fazer uma obra.



Escrever sobre este cemitério destinado especificamente para os escravos recém-chegados mexeu bastante com o autor. “O livro de óbitos do cemitério que eu pesquisei é chocante. Tudo isso me fez pensar na forma com que eles eram tratados. Dizem que o pesquisador é isento, mas na verdade é impossível manter a imparcialidade diante de um tema desses. O que a gente procura é medir a paixão para não ser passional, mas essa é a grande dificuldade.” (retirado do blog concursodemonografias).

Se quiser ler a dissertação do autor clique aqui. O autor também publicou um artigo no XII encontro Regional de História da ANPHU (Associação Nacional de Pesquisadores em História).


Júlio César (a esquerda) com donos da casa da Gamboa

As fotos acima foram retirada do site da SINTUFRJ que publicou uma matéria muito interessante e que vale a pena ler.

PNAD 2007 - SINTESE DE INDICADORES SOCIAIS




Bom, nos jornais que estão noticiando os dados do PNAD 2007 (Pesquisa Nacional Domiciliar) não estão noticiando dados que envolvam a questão racial no Brasil. No mínimo intrigante, pois ao darmos uma olhada no site do IBGE e na pesquisa citada facilmente encontramos estes tipos de dados.
Para baixar a pesquisa clique na imagem ou neste link alternativo.


Clicando aqui vc pode ler uma sinopse que o IBGE publicou no site sobre o PNAD 2007.

Abaixo vai um trecho da pesquisa e dois gráficos relacionando escolaridade/raça e escolaridade/raça/renda, para ampliá-los clique nas respectivas imagens.


"Uma conseqüência destes diferenciais educacionais pode ser percebida entre as pessoas de 25 anos ou mais de idade que alcançaram 15 anos ou mais de estudo, ou seja, que completaram o nível superior de ensino. No Brasil, em 2006, apenas 8,6% possuíam este nível de escolaridade. Desse conjunto que concluiu a graduação universitária, 78% eram de cor branca, enquanto os de cor preta, 3,3%, e os pardos, 16,5%. Por outro lado, no interior de cada grupo de cor, mais de 12% dos brancos concluíram o terceiro grau de ensino, enquanto que para pretos e pardos esta participação não alcança a 4%, uma proporção mais de 3 vezes menor (Tabelas 8.8 e 8.9).


Como comportamento associado a estas desigualdades educacionais, os rendimentos médios percebidos por pretos e pardos se apresentam sempre menores que os dos brancos. As informações, contudo, mostram também como as diferenças de rendimentos não podem ser explicadas apenas pelas desvantagens de escolaridade da população de cor ou raça preta e parda. Desde que são considerados os rendimentos- hora de acordo com grupos de anos de estudo (Tabela 8.10), sem exceção os brancos aparecem favorecidos. Comparando os rendimentos por cor ou raça dentro dos grupos com igual nível de escolaridade, consegue-se perceber a persistência do efeito racial, com o rendimento-hora dos brancos em média 40% mais elevado que o de pretos e pardos (Gráfi cos 8.4 e 8.5).


SEMINARIO AFRO-BRASILIDADE



Spike Lee dos documentários, Stanley Nelson fala de 'Tropa de elite', drogas e Michael Moore

Publicada em 28/09/2007 às 21h23m
Alessandra Duarte - O Globo RIO

Stanley Nelson não é Spike Lee, nem Michael Moore. Foi rechaçando a comparação com o cineasta de "Faça a coisa certa" e o modo de fazer documentários do maior inimigo de George Bush em Hollywood que o diretor americano Stanley Nelson, homenageado com uma mostra no Festival do Rio 2007, conversou com O GLOBO na última quarta-feira. Autor de alguns dos documentários americanos sobre violência urbana e discriminação mais premiados hoje, Nelson diz que "Ônibus 174", de José Padilha, "é um dos melhores documentários dos últimos anos", que quer assistir a "Tropa de elite" e que a sociedade vive uma fase reacionária por não querer abrir mão de nada.

Assista ao trailer do documentário 'Jonestown', sobre Jim Jones Leia críticas dos documentários no DocBlog
Para ler o restante da entrevista clique na imagem e para baixar clique aqui
Mostra: Stanley Nelson
Em Exibição
Sexta - 28/09/2007
Caixa Cultural 216:45:00 hs
Sábado - 29/09/2007
C.C. Justiça Federal20:30:00 hs
Domingo - 30/09/2007
Caixa Cultural 219:15:00 hs
Em Exibição
Quinta - 27/09/2007
Caixa Cultural 216:45:00 hs
Sexta - 28/09/2007
C.C. Justiça Federal18:30:00 hs
Sábado - 29/09/2007
Caixa Cultural 214:15:00 hs
Em Exibição
Sexta - 28/09/2007
Caixa Cultural 214:15:00 hs
Sábado - 29/09/2007
Caixa Cultural 219:15:00 hs
Quinta - 04/10/2007
C.C. Justiça Federal16:15:00 hs
Em Exibição
Quinta - 27/09/2007Caixa Cultural 219:15:00 hs
Domingo - 30/09/2007
Caixa Cultural 214:15:00 hsQuinta - 04/10/2007
C.C. Justiça Federal18:30:00 hs
Em Exibição
Sexta - 28/09/2007
Caixa Cultural 219:15:00 hs
Domingo - 30/09/2007
Caixa Cultural 216:45:00 hs
Quinta - 04/10/2007
C.C. Justiça Federal14:00:00 hs

La Federación Panafricanista

La Federación Panafricanista, Shirikisho ya Wanafrika en Kiswahili, es una organización global africana revolucionaria, basada en principios Panafricanistas y Africano-Centrados. Nuestros objetivos generales son:

1. Unir a todos los hermanos y hermanas africanos kemíticos tanto en África como en los territorios de las diásporas (América, Europa, Asia, Ocenía) en pos de objetivos políticos comunes.
2. Liberar físicamente y mentalmente de la opresión, a todos los hermanos y hermanas africanos tanto en África como en los territorios de las diásporas.
3. Luchar por la unificación política de la Comunidad Kemítica Africana; Ujamaa Wanafrica.
4. Atender las necesidades, sociales, económicas y de salud de todos los africanos y africanas para lograr el desarrollo de una vida digna.
5. Alcanzar la plena educación africano-centrada de todos los hermanos y hermanas africanos tanto en Afrika como en sus diásporas.
6. Defender de toda agresión, a los hermanos y hermanas africanos kemíticos allí donde se encuentren.
7. Luchar contra el racismo, el sexismo, la xenofobia y todas las formas de discriminación.
8. Fomentar la Democracia Congresual Panafricanista y luchar en pro de los Derechos Humanos y de las Libertades tanto colectivas como individuales.
9. Defender la justa reparación a todos los africanos por el holocausto negro Maafa y la destrución y saqueo de Afrika.

Brasil Afro é tema do 4º. Salão de Fotografias

Estão abertas as inscrições para o 4º Salão Nacional de Fotografias da Cidade de Votorantim SP, Brasil Afro, com a proposta de difundir a cultura afro Brasileira e estimular a livre manifestação artística.
O Salão recebe imagens que mapeie e mostre a negritude brasileira da formas mais ampla possível, retratos, danças, culinária, fotojornalismo, religião, folclore, costumes enfim tudo que enalteça e mostre o valor da cultura Afro, os trabalhos podem ser inscritos até o dia 10 de Novembro proximo (valendo o carimbo dos correios
Brasil Afro tem Prêmio em dinheiro e certificado de participação.
é uma realização da Secretaria de Cultura da Cidade de Votorantim SP, *Grupo Imagem Núcleo de Fotografia e Vídeo de Sorocaba*, Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região, CUT Regional de Sorocaba, Nucab (Núcleo de Cultura - Afro Brasileira), Associação Afro de Boituva e CNB (Consciência Negra Boituva)


Mais informações pelos sites www.culturavotorantim.com.br
http://www.smetal.org.br/
www.grupoimagem.org.br

PAC da Funasa promete investimentos de R$ 4 bi

Para ler no site do Correio clique aqui

CORREIO BRAZILIENSE

Ullisses Campbell
Elza Fiuza/ABr
Danilo Forte, da Funasa: União quer levar água e esgoto aos Grotões


O presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva anuncia hoje um pacote de medidas para os pequenos municípios brasileiros e para a saúde indígena, apelidado de PAC da Funasa. O programa prevê investimento de R$ 4 bilhões em saneamento básico e combate a doenças endêmicas até 2010. Na semana que vem, Lula deverá anunciar o chamado PAC da Saúde, entregue pelo ministro José Gomes Temporão, no Palácio do Planalto, e ainda não aprovado pelo presidente.O PAC da Funasa está dividido em três eixos. O primeiro dá prioridade à saúde indígena. O governo quer elevar o abastecimento de água da população indígena nas aldeias do país, de 62% para 90%, e dobrar, de 30% para 60% a cobertura do sistema de esgotamento sanitário. No Amazonas, onde vivem 125 mil índios, apenas 7% têm água encanada. “Isso é um absurdo porque esses índios vivem na maior bacia hidrográfica do mundo e não tem água tratada para beber?, disse o presidente da Funasa, Danilo Forte.Segundo ele, o presidente Lula pediu que seja dada uma atenção especial às comunidades indígenas e um reforço no combate à doença de Chagas e à malária. Os dois males atingem, principalmente, as populações ribeirinhas que vivem na Região Amazônica. Recentemente, foi traçado um mapa epidemiológico para Chagas e descobriu-se que a doença está mais evidente em cerca de 500 municípios localizados no meridiano que vai do sul do estado do Piauí, no limite com o Ceará, e segue até a divisa do Rio Grande do Sul com o Uruguai. Os maiores casos encontram-se na margem esquerda do Rio São Francisco, nos estados da Bahia e Minas Gerais. “Só para combate à doença de Chagas o PAC prevê R$ 280 milhões?, disse Forte.Nos estados da Amazônia Legal com áreas sujeitas à malária, as medidas prevêm ações de manejo ambiental e drenagem urbana em 30 municípios onde a incidência dos casos da doença é maior. Uma das cidades a serem beneficiadas é Manaus (AM), que registrou, no primeiro trimestre deste ano, 16.944 notificações de malária, um crescimento de 815% em relação ao ano passado.Alcance socialA Funasa é responsável pelo saneamento básico nos municípios brasileiros com até 50 mil habitantes e tem como missão atender a saúde das populações indígenas, das comunidades especiais quilombolas, assentamentos rurais, ribeirinhos e extrativistas. O órgão implementará com o Ministério da Saúde os projetos com execução previstos até 2010. De acordo com o presidente da Funasa, as ações estruturantes na área de saneamento possibilitarão o acesso de uma grande parcela da população mais carente a serviços básicos e essenciais na área de saúde.As comunidades de quilombolas receberão água tratada e esgoto, com 45 mil famílias sendo beneficiadas em mais de 600 comunidades espalhadas pelo país. O chamado PAC da Funasa prevê ainda a formulação do Programa Nacional de Saneamento Rural, que fornecerá água de boa qualidade e esgotamento sanitário para as populações rurais dispersas em localidades rurais com até 2,5 mil habitantes. Para viabilizar esse plano, serão destinados recursos para construção de sistemas de abastecimento de água e esgoto. As escolas rurais também serão beneficiadas.O governo promete a criação de 150 empregos para cada R$ 1 milhão investidos na área de infra-estrutura. Isso que dizer que, pelas contas da Funasa, a aplicação de R$ 1 bilhão vai gerar 150 mil empregos. No total, serão 750 mil novos postos de trabalho, ao longo dos próximos três anos e meio. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), cada R$ 1 aplicado na área de saneamento representa uma economia de R$ 5 em atendimento ambulatorial e hospitalar. “Como estaremos trabalhando com R$ 1 bilhão por ano, teremos uma economia de R$ 5 bilhões na execução do PAC, desonerando o sistema de atendimento à saúde?, prevê Danilo Forte.

As principais medidas --> --> -->
  • O governo promete investir R$ 4 bilhões no chamado PAC da Funasa
  • Fornecer água para 90% das comunidades indígenas. Hoje, apenas 62% das aldeias têm água encanada. O governo quer ampliar de 30% para 60% o fornecimento de esgotamento sanitário. O governo vai priorizar as áreas com maiores déficits de cobertura de saneamento em municípios com até 50 mil habitantes, levando em consideração cidades com potenciais riscos à saúde;
  • As comunidades quilombolas receberão água de boa qualidade e esgoto. Medidas beneficiam 45 mil famílias em 622 comunidades;
  • Também serão contemplados 500 municípios localizados em área de alto risco da doença de Chagas, principalmente nos estados de Minas Gerais, Bahia e Rio Grande do Sul.
    Na Amazônia, o governo quer prioridade para as áreas sujeitas à malária.
  • Entre as propostas, estão ações de manejo ambiental e drenagem urbana nos 30 municípios com maior número de casos da doença.

sexta-feira, 28 de setembro de 2007

Filme e debate sobre o "Negro em família"

Projeto Cinemativa apresenta neste sábado, 29, às 16h (em ponto) os filmes
Família Alcântara, de Lilian e Daniel Solá Santiago
Negro e argentino, de Patrício Salgado

"Essa exibição tem o objetivo de gerar reflexões sobre a cultura e resistência da Família Negra e a forma como ela é tratada nas produções áudio-visuais, o tema da sessão é - O Negro em Família".

Local: Fundação Casa de Rui Barbosa
Rua São Clemente, n 134 - Botafogo RJ
próximo ao metrô / estacionamento gratuito
Entrada franca.

20° aniversário do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos do Negro

O Conselho Municipal de Defesa dos Direitos do Negro (COMDEDINE) convida para a solenidade comemorativa de seu 20º Aniversário, a realizar-se nesta sexta-feira, 28, no Plenário da Câmara Municipal da Cidade do Rio de Janeiro, às 18h e 30.

quinta-feira, 27 de setembro de 2007

As mulheres africanas e as mulheres negras brasileiras na construção da sociedade

Nos dias 01 e 05/10, das 15h às 18h, o SOS Racismo realiza no Plenário Tiradentes - Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo, a palestra "As mulheres africanas e as mulheres negras brasileiras na construção da sociedade".

A palestrante será Deise Benedito.

Mais informações pelo telefone 08007733886.


LOCALIZAÇÃO
Endereço:Rua Pedro Álvares Cabral, s/nºPavilhão Manoel da NóbregaParque do Ibirapuera, portão 1004094-050 - São Paulo, SPOutros telefones: 5579-8542 / 5579-7716 / 5579-6399e-mail:
agendamento@museuafrobrasil.com.br

quarta-feira, 26 de setembro de 2007

Petrobras fará censo para basear ações de redução da discriminação

Dando uma olhada rápido no site do jornal O Globo constava está notícia, mas nada no site da Petrobrás.

Publicada em 24/09/2007 às 17h39m
O Globo Online

RIO - A Petrobras está preparando um censo para identificar quem são seus 51 mil funcionários e, a partir daí, traçar estratégias para reduzir a discriminação entre homens e mulheres na ocupação de cargos da empresa. O levantamento, que será feito em conjunto com o Ibope e o Instituto Ethos, deverá levar em conta também aspectos como raça e religião, avançando para questões sobre a percepção do funcionário sobre o peso destas características na distribuição de funções.
A informação é da ouvidora-geral da empresa, Maria Augusta Carneiro Ribeiro, que participou da segunda edição do Programa Pró-Eqüidade de Gênero na companhia.
Atualmente, a Petrobras conta com uma Comissão de Diversidade composta por representantes de distintas áreas de negócios. Uma das mais recentes conquistas foi a expansão dos benefícios do plano Petros a parceiro de dependentes do mesmo sexo, que já tem a adesão de 25 empregados.
Apesar do programa focar na redução da discriminação de mulheres, Maria Augusta explicou que é impossível tratar da questão sem tocar em outras formas de intolerância, como a de opção sexual ou cor.

A participação de mulheres em cargos gerenciais da empresa, especificamente, está sendo feita por meio do Programa de Pró-Eqüidade de Gênero, promovido pela Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres e apoiado pelo fundo das Nações Unidas para as Mulheres (Unifem) e pela Organização Internacional do Trabalho. A empresa conquistou em 2006 o selo Pró-Eqüidade de Gênero e está estabelecendo suas metas para a renovação do selo em 2007 e 2008.
- O selo não é para sempre. Ele é reafirmado a cada etapa do programa. Como estávamos testando uma metodologia, fizemos a primeira versão com a duração de um ano. Mas agora pretendemos aumentar este intervalo porque é um espaço muito pequeno para avaliar as ações de uma empresa - afirmou a ministra Nilcéia Freira, da Secretaria Especial de Políticas para Mulheres. De acordo com Maria Augusta, a empresa não pretende adotar ações afirmativas, como estabelecimento de cotas para cargos gerenciais, por exemplo.
- Existem características que devem contar para a escolha, como experiência profissional, perfil e qualificação, somadas a uma política empresarial que incentiva a participação das mulheres em cargos de gerência. O gênero não deve contar para a escolha, como acontecia há algum tempo - diz.
Atualmente, existem em torno de quatro mulheres no corpo gerencial da empresa, contra sete no ano passado. Além disso, já existem mulheres que ocupam gerências de refinarias e de plataformas, embora estes casos ainda sejam minoria.

Lançamento da 3ª Caminhada pela Vida e Liberdade Religiosa


NEGRAS MEMÓRIAS: Nascer, Crescer e Envelhecer Negro

“A senzala, porque foi na senzala que a cultura brasileira se formou,
tinha negros de todas as nações africanas, que contavam as suas histórias.
As rebeliões e as revoltas escravas eram organizadas neste espaço”
(Depoimento de Geraldo Campos de Oliveira, 1992).

O Seminário NEGRAS MEMÓRIAS: Nascer, Crescer e Envelhecer Negro é mais uma das atividades destinadas a comemorar o dia internacional do idoso. Este Seminário visa também comemorar de forma crítica as Leis do Sexagenário e do Ventre Livre e seus impactos na população negra nos dias de hoje. Este seminário, também, marca lançamento do projeto NEGRAS MEMÓRIAS: AS NARRATIVAS NEGRAS ABORDADAS A PARTIR DO OLHAR DE GÊNERO/RAÇA E ETNIA. Este projeto visa, neste primeiro momento, aprofundar a partir das narrativas da população negra idosa, o conhecimento da construção social do racismo e anti-racismo, bem como das estratégias que a população negra paulistana vem utilizando para sua superação, pretende, também, enveredar por campos tão diversificados quanto a saúde sexual e reprodutiva, a sexualidade, a educação, a produção do conhecimento literário, artística e cientifica) as representações culturais.
A memória afrodescendente, como todas as memórias coletivas, passou e passa por um constante processo de construção, e, é no resgate da história das organizações negras do passado que ocorre um processo transformação, reinterpretando “incessantemente o passado em função dos combates do futuro” (Pollak, 1989).

Local: Universidade da Cidadania Zumbi de Palmares
Rua Padre Luis Alves Siqueira nº 640 – Barra Funda
(ao lado do mercado Wal Mart).
Data: 28/09/2007
Horário: 19h00 as 22h00
Data 29/092007
Horário: 08h30 as 18h30


Promoção:
Área de Saúde do Idoso/ CODEPPS/SMS
Área de Saúde da População Negra/CODEPPS/ SMS
Coordenadoria do Idoso/ Secretaria de Participação Para Parceria
Coordenadoria da Mulher/ Secretaria de Participação Para Parceria
Coordenadoria Especial para os Assuntos da População Negra/ Secretaria Parceria
Associação de Professores da Universidade da Cidadania Zumbi de Palmares
Comitê Assessor de Política e Consensos Técnicos de Saúde da População Negra e Outras Minorias Étnicas e Raciais

Apoio:
Universidade da Cidadania Zumbi de Palmares
Centro de Memória da UNICAMP
Centro de Estudos Rurais e Urbanos (CERU) USP
Casa Laudelina de Campos Mello
Inscrições:
Telefones: 32184114/Ramal 4266 e/ou 3218-4105 com Sandra
E-mails:http://br.f523.mail.yahoo.com/ym/Compose?To=sandrap@prefeitura.sp.gov.br ou http://br.f523.mail.yahoo.com/ym/Compose?To=saudedapopulacaonegra@prefeitura.sp.gov.br

CEAP diz que distribuirá livro de graça.

Geraldo Rocha diz na entrevista abaixo para o IBASE que o CEPA não vai vender o seu livro “Diversidade & ações afirmativas”, mas irá distribuir para os militantes. Vamos entrar em contato com eles e pedir um exemplar... acesse o site CEAP ou entre em contato por: Rua da Lapa, 200 - Sala 813 - CentroRio de Janeiro - RJ - BrasilCEP: 20021-180Tel/Fax: 021 2232-7077 / 2232-5128 / 2224-8530

Entrevista: Geraldo Rocha
Da Redação
Colaborou: Carlos Daniel da Costa

Durante a XIII Bienal do Livro – Rio, o professor Geraldo Rocha, coordenador do projeto Camélia do Centro de Articulações de Populações Marginalizadas (Ceap), e o professor Ivanir dos Santos, secretário executivo da mesma instituição, lançaram o livro “Diversidade & ações afirmativas”. A publicação apresenta artigos e ensaios com diferentes pontos de vista de renomados(as) intelectuais sobre ações afirmativas. O professor Geraldo Rocha fala ao Ibase a respeito da publicação.

Ibase – Várias publicações têm sido produzidas sobre ações afirmativas. De que forma o livro lançado se diferencia de outros?
Geraldo Rocha – A diferença é o foco na visibilidade. Dar visibilidade a um conjunto de autores negros que trabalham com temáticas diferentes no campo das ações afirmativas. Quando juntamos oito autores, cada um abordando um aspecto diferente, buscamos o ponto de vista propositivo, não só ficar trabalhando conceituações, significados. Os artigos têm essa função.

Ibase – A publicação reúne artigos e ensaios de renomados(as) intelectuais. Qual foi o critério de seleção?
Geraldo Rocha – Havia aspectos que gostaríamos de qualificar, difundir para a sociedade brasileira. O processo de educação que queremos desenvolver no contexto da Lei 10.639/03; a questão da mulher negra; a questão da religião; o conhecimento da história como elemento fundamental; cotas, diversidade e como trabalhar a diversidade. Há também artigo com embasamento jurídico: como encontramos na área jurídica fundamentação para o desenvolvimento de ações já em andamento e das que virão?

Ibase – Cada artigo reforça o ponto de vista do outro ou são visões diferenciadas sobre o mesmo tema?
Geraldo Rocha – Na verdade, o livro como um todo é voltado para a valorização das ações afirmativas. Esse foi um pré-requisito. Nós queremos que a sociedade entenda a relevância das ações afirmativas.

Ibase – Quando falamos sobre ações afirmativas, costumamos pensar apenas nas cotas. Mas elas vão além disso...
Geraldo Rocha – Seriam necessárias ações afirmativas em todos os espaços onde vemos a comunidade negra ter a sua dignidade diminuída por processos sociais, econômicos e políticos.

Ibase – Por que, na sua opinião, a sociedade foca o debate nas cotas?
Geraldo Rocha – Porque foi algo que mexeu diretamente no status de um grupo da sociedade brasileira que está nas universidades. O saber do ensino superior é uma reserva de mercado e isso tem a ver com a prática da sociedade brasileira. A ação mexeu nesse foco e encontrou grande resistência.

Ibase – O debate sobre cotas causa manifestações acaloradas de ambos os lados...
Geraldo Rocha – De um lado, estão negros e pessoas de bom senso da sociedade brasileira, que constatam as evidências das desigualdades. A maioria da classe média não admite perder. Acho que esse é o sentido do acaloramento das manifestações. Cada vez mais, percebemos que é inaceitável e inadmissível que todos paguem impostos e só alguns usufruam dos benefícios. No caso, o ensino superior. É com o ensino superior que você se forma, as pessoas que vão coordenar o destino do país passam por essa instância. Parece que tem gente que acha que os negros não podem ter isso.

Ibase – O assessor da presidência do BNDES, Ricardo Henriques, foi convidado para o debate do livro, na Bienal do Livro. Qual a importância do BNDES participar do debate?
Geraldo Rocha – Temos uma relação com o professor Ricardo Henriques desde os tempos do MEC. Era ele quem estava na Secretaria de Educação Continuada de Alfabetização e Diversidade (Secad) e em todos os processos de formação dos professores. Ele tem sistematizado como as desigualdades se expressam na área da educação e agora está no BNDES. Acho que é um organismo que, um dia, poderá trabalhar conosco. Acho que podemos trabalhar com várias parcerias e não estamos descartando a possibilidade de contar com o apoio do BNDES para isso.

Ibase – Como leitores(as) poderão ter acesso ao livro e a outras publicações do Ceap?
Geraldo RochaO livro tem o patrocínio da Petrobras, não será comercializado. Após o debate, vamos fazer lançamentos em outros espaços. Também faremos com que a publicação chegue às mãos de formadores de opinião. Quem tiver interesse deve procurar o Ceap. Além do Rio, iremos para São Paulo. Também haverá lançamento no Congresso Nacional. O Ceap também está entrando em contato com prefeituras municipais. Claro, a distribuição está sendo feita na medida do quantitativo que temos em mãos.

Publicado em 21/9/2007 no site do IBASE.

terça-feira, 25 de setembro de 2007

FISCAIS DE TRABALHO ESCRAVO RECLAMAM DE SENADORES



Bom, o titulo fala por si só... para ler ou baixar o arquivo (em BMP) clique na imagem.

Vagas para estudantes de Economia e Estatística

A Incubadora Afro-Brasileira está selecionando estagiários para integrar a equipe da Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento. Os candidatos devem estar cursando a partir do 4º período dos cursos de Economia ou Estatística. A Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento realizará estudos sobre indicadores sociais, produzindo conhecimento a partir dos resultados obtidos pela incubadora nas ações de promoção do desenvolvimento econômico com inclusão social. As inscrições para o processo de seleção serão aceitas até 27 de setembro. O edital está disponível no site da organização, http://www.ia.org.br/, que fica no Rio de Janeiro. Informações pelo telefone (21) 2232-1732.

Estas pesquisas do IBGE com recorte racial tem por base a pesquisa mensal de emprego, ou seja, uma pesquisa amostral realizada todo mês para tenta captar a oferta e o tipo de trabalho junto aos brasileiros. Para baixar as pesquisas clique na imagem.

OUTRAS PESQUISAS DO DIEESE

Numa postagem anterior faltou escrever o que significa a sigla DIEESE, pois bem que dizer Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos e foi criado, em 1955, pelo Movimento Sindical para desenvolver atividades de pesquisa, assessoria, educação e comunicação nos temas relacionados ao mundo do trabalho e que se ajustam aos desafios que a realidade coloca para a organização dos trabalhadores brasileiros.


Nesta postagem você vai encontrar pesquisas sobre mercado de trabalho, do ponto de vista racial, nas cinco maiores metrópoles brasileira dos anos de 2000, 2001 e 2002, além do Mapa da População Negra no Mercado de Trabalho.

Para baixar os documentos clique aqui.

DF - Demarcação e titulação de terra quilombola estão ameaçadas

Retirado do Observatório Quilombola.

DF - Demarcação e titulação de terra quilombola estão ameaçadas
Data: 25/9/2007
Sob a ameaça de um retrocesso na legislação que regulamentou os direitos dos quilombolas previstos na Constituição, na próxima segunda-feira (24), cerca de 500 quilombolas de todo o país estarão reunidos no Auditório Nereu Ramos da Câmara dos Deputados, em Brasília, para participar de uma audiência pública sobre decreto 4887 de 20 de novembro 2003, que regulamenta a demarcação e titulação das terras ocupadas por remanescentes das comunidades dos quilombos.
Promovido pelo Ministério Público Federal, o debate visa fortalecer as discussões acerca da atual situação dos quilombolas no país, como forma de combater forças contrárias às leis direcionadas a essa comunidade, tal como o Projeto de Decreto Legislativo (PDL) 44/2007, do deputado federal Valdir Colatto (PMDB-SC) que, se aprovado, suspende o decreto de 4887/03.
A audiência pública é uma iniciativa da Coordenação Nacional de Comunidades Negras Rurais Quilombolas (Conaq), junto com a Frente de Parlamentares Negros e com o Comitê do Programa Brasil Quilombola do Governo Federal, que nesta terça-feira (25), promoverão um ato em Defesa dos Direitos Quilombolas, a ter lugar no Plenário 2 da Câmara dos Deputados, às 9h. Além do movimento quilombola, as atividades terão a presença de aproximadamente 200 indígenas.
<>
Fonte: Agência de notícias Adital em 21/09/2007

III Seminário Paulista da Rede Nacional de Religiões Afro-Brasileiras e Saúde

O III Seminário Paulista da Rede Nacional de Religiões Afro-Brasileiras e Saúde, diante das questões de direito, educação, atenção, promoção e assistência á saúde, será realizado na UNICID – Universidade Cidade de São Paulo, dia 19/Outubro, ás 14h e dia 20/Outubro as 08h e terá como eixo central o tema: “Educação Permanente para Humanizar a Saúde”.
A Política de Educação Permanente e a implementação da Política Nacional de Atenção á Saúde Integral da População Negra, agora nos Estados e Municípios, serão os dois pontos primordiais que o seminário discutirá no universo da Humanização da saúde, daí o objetivo do evento: A valorização do espaço sagrado das tradições religiosas afro-brasileiras, como espaço promotor de saúde integral, individual e coletiva, em consonância com os parâmetros definidos pela Organização Mundial de Saúde e os princípios do SUS conforme Leis 8.080/1990 e 8.142/1990.
Ao evento, alia-se a realização da II Mostra de Experiências em Saúde da População Negra & II Mostra de Experiências em Religiões Afro-Brasileiras e Saúde, para que todos e todas nós, tenhamos a possibilidade de conhecer boas práticas e respostas ás questões relacionadas á saúde integral desta significativa parcela da população. Ambas as Mostras, são fruto de trabalhos executados conjuntamente, em diferentes espaços.
Este ano os inscritos poderão esclher no ato da inscrição, uma das reuniões temáticas do seminário, para participar no segundo dia. Serão temas das atividades paralelas:

- Religiões Afro-Brasileiras: a cidade das mulheres.
- Saúde, doença e o uso medicinal de folhas e ervas.
- Experiências em Saúde da População Negra e Saúde no Terreiro: Perpectivas frente á Política de Saúde da População Negra do Estado de São Paulo.
- Nascer e Morrer: Humanização do Parto e o Parto Tradicional.

O evento terá início, Sexta-feira,dia 19 de Outubro as 15h e no dia 19, Sábado as 08h. Acontecerá na UNICID - Universidade Cidade de São Paulo, Rua: Rua Cesário Galeno, 448/475. Metrô Carrão – São Paulo.

INSCRIÇÃO
Para fazer sua inscrição junte os dados solicitados abaixo e envie para o e-mail: saudenoterreiro@yahoo.com.br até dia 10 de Outubro/2007.

DADOS PESSOAIS
NOME
Qual a sua cor/raça/etnia:
( )preto ( )pardo ( )branco
( )indígena ( )amarelo ( )não sabe
RG
TELEFONE
CELULAR
Escolaridade
Profissão
Sexo: ( )masculino ( )feminino
Orientação sexual:
( )heterossexual
( )homossexual
( ) bissexual

ENDEREÇO
CEP
BAIRRO
CIDADE
E-MAIL 1:
E-MAIL 2:

Dados institucionais - Organização em que você está inserido
RELIGIÕES AFRO-BRASILEIRAS: QUAL?
GOVERNO – DEPARTAMENTO:
MOVIMENTO SOCIAL – QUAL?
INSTITUIÇÃO – NOME:
CARGO OU FUNÇÃO:
ENDEREÇO:
CEP
BAIRRO
CIDADE
E – MAIL 1
E – MAIL 2

OBS
Escolha com um X uma única oficina que você queira participar no segundo dia do seminário:
01 ( )Religiões Afro-Brasileiras: A Cidade das Mulheres
02 ( )O Uso Medicinal de Folhas e Ervas
03 ( )Experiências em Saúde da População Negra e Saúde no Terreiro: Perspectivas frente á Política de Saúde da População Negra do Estado de São Paulo.
04 ( )Nascer e Morrer – Humanização do Parto e Parto Tradicional

CD DE TEREZA CRISTINA E GRUPO SEMENTE



Para ampliar clique na imagem e para baixar em PDF clique aqui.

Para ir para a pagína e escutar o repertório do grupo clique aqui, contudo só é possível escutar pequenos trechos de cada música. Na Rádio uol é possível escutar quatro CDs de graça.

Abaixo dois momentos do show retirados do youtube

Teresa Cristina e o Grupo Semente - Rainha do Mar

Teresa Cristina e Paulinho da Viola

domingo, 23 de setembro de 2007

A Fundação Perseu Abramo coloca à disposição dos leitores 43 livros de sua editora


As capas dos livros acima são alguns dos exemplos do que a editora Perseu Abramo está liberando de graça no site. Entre no site faça um pequeno cadastro e comece a baixar os livros em PDF. Ou clique neste link alternativo para estes quatro livros.

sábado, 22 de setembro de 2007

TRÊS EVENTOS QUENTES NESSE FIM DE SEMANA NO RIO

Para quem for carioca ou estiver esse fim de semana no Rio, anote as dicas quentes que o Aldeia Griot separou:

BIENAL DO LIVRO

Sábado, 22, às 19h
o pesquisador, cantor e compositor Nei Lopes dará uma aula-show, sobre a cultura afro-brasileira, no auditório Macahdo de Assis, durante a Bienal do Livro, no RioCentro. Mais informações acesse www.bienaldolivro.com.br.

Domingo, 23, às 15h
Ana Maria Gonçalves, Sérgio Pena e Yvonne Maggie participam do Fórum de Debates sobre "Racismo: preconceito, descriminação e a política de cotas" commediação da jornalista Flávia Oliveira. Auditório Machado de Assis, pavilhão azul, da Bienal do Livro.

FESTIVAL DO RIO

Sábado, 22, às 19h
Quem ainda não assitiu pode aproveitar a oportunidade e ver o filme Antônia, na Praia de Copacabana. Não esqueça a cadeira de praia.

Se você quiser publicar algum evento que esteja acontecendo em sua cidade, artigo, dicas de livros, etc... entre em contato conosco pelo e-mail aldeiagriot@gmail.com.

quinta-feira, 20 de setembro de 2007

A VOLTA DA SERIE ANTONIA NA TV GLOBO


Reportagem publicada no jornal O Globo do dia 16.06.07 falando da retomada do seriado. Neste segundo ano a direção vai ser feita por mulheres.
Para quem ler ou baixar a reportagem clique nas imagens. Os arquivos estão salvos em formato BMP.
Algumas pessoas não gostam porque dizem que elas se venderam e abandonaram o verdadeiro Hip-hop, mas quer saber elas são muito boas atrizes, cantoras, mulheres negras de atitude, etc. :) ... bom, é uma alegria que o seriado tenha voltado para a telinha pequena. Agora quem quer baixar de graça a primeira temporada para o computador clique nos títulos abaixo ou neste
link alternativo.

01 - De Volta para Casa

02 - Qualquer forma de amor vale a pena?

03 - Nem tudo é relativo

04 - Toque de Recolher

05 - Fiodivó - (último episódio)

Para baixar trilha sonora do filme clique aqui

Para ir para o site oficial clique aqui.





quarta-feira, 19 de setembro de 2007

TEXTOS DO INSTITUTO ETHOS


Coletânea de textos do Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social. Este instituto prega a idéia de que as empresas precisam ter reponsabilidade social como forma de melhorar as mazela e desigualdades sociais. Segundo esta ótica poderia ser criado um ambiente mais virtuoso que aumentaria os negócios e lucros, pois, as pessoas veriam as empresas com bons olhos.
Clique na imagem e baixe quatro artigos sobre questão racial e as empresas brasileiras produzidos pelo Instituto Ethos.

Comunidades quilombolas compartilham demandas e prioridades em seminário

Vale o relato completo, mas quem quer a notícia no site clique aqui.
O II Seminário da Agenda Socioambiental Quilombola, realizado na semana passada em Eldorado, no Vale do Ribeira, reuniu representantes de 14 comunidades quilombolas e permitiu aos participantes trocar experiências e informações sobre a realidade social, econômica e ambiental de cada uma das comunidades.
O objetivo deste II seminário foi o de compartilhar com os parceiros das comunidades quilombolas, representantes de setores públicos e de organizações da sociedade civil, as demandas e prioridades apontadas pelas 14 comunidades quilombolas durante a primeira fase do projeto de diagnóstico socioeconômico e ambiental das comunidades quilombolas. O encontro, que reuniu mais de 100 pessoas durante os dias 13, 14 e 15 deste mês na cidade de Eldorado, no Vale do Ribeira, também possibilitou a esses segmentos da sociedade uma melhor compreensão da realidade dessas comunidades.

Durante o seminário, os quilombolas puderam discutir questões ligadas à cultura,
educação, atividades produtivas, saúde, infra-estrutura, meio ambiente...
As lideranças e agentes das comunidades quilombolas de André Lopes, Sapatu, São Pedro, Pedro Cubas I e II, Galvão, Ivaporunduva, Nhunguara, Poça, Cangume, Porto Velho, Bombas, Morro Seco e Mandira demonstraram sua capacidade organizacional coletiva ao apresentarem suas demandas e prioridades com relação à: “Cultura, Lazer e Educação”; “Atividades Produtivas – agrícolas e não-agrícolas”; “Saúde e Saneamento”; Infra-estrutura, Moradia, Comunicação e Transporte” e “Meio Ambiente e Fundiário”. Após as apresentações, os quilombolas e representantes dos órgãos públicos e da sociedade organizada constituíram grupos temáticos para, juntos, discutirem como cada um dos órgãos presentes pode contribuir para a implantação da Agenda Socioambiental Quilombola do Vale do Ribeira.
Uma das principais propostas foi feita pelo grupo temático “Meio Ambiente e Fundiário”. O grupo levou à plenária do seminário a proposta de criação de um Grupo de Trabalho - composto por membros da Fundação Florestal (FF) de São Paulo, Departamento Estadual de Proteção de Recursos Naturais (DEPRN), Instituto Socioambiental (ISA), Instituto de Terras do Estado de São Paulo (ITESP) e representantes quilombolas - para discutir e elaborar uma proposta de licenciamento específica para abertura de áreas de roça nas terras quilombolas. O licenciamento teria como base os mapas de uso e ocupação de seus territórios elaborados pelos próprios moradores durante o projeto da Agenda Socioambiental Quilombola. Os quilombolas decidiram se reunir ainda neste mês de setembro para elaborar uma primeira versão dessa proposta, para então levar aos órgãos competentes, e conjuntamente definir uma minuta de licenciamento para roça de coivara em terras quilombolas no Vale do Ribeira.
Além de lideranças das 14 comunidades quilombolas diretamente envolvidas com a construção da Agenda Socioambiental Quilombola do Vale do Ribeira, marcaram presença no seminário representantes do Fundo Nacional do Meio Ambiente (FNMA-MMA), Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), Instituto Chico Mendes, Instituto do Patrimônio Histórico e Arquitetônico Nacional (IPHAN), Fundação Florestal (FF), Instituto Florestal (IF), Instituto de Terras do Estado de São Paulo (ITESP), Universidade de Campinas (UNICAMP), Departamento Municipal de Saúde de Iporanga e de Eldorado, Departamento Municipal de Educação e Cultura de Cananéia e Departamento Municipal de Esportes de Itaocá.
Também estiveram presentes representantes da ONG IDESC, Equipe de Articulação e Assessoria das Comunidades Negras (EAACONE), Movimento dos Ameaçados por Barragens (MOAB), quilombolas do sul da Bahia e técnicos da ONG Instituto Floresta Viva, que atua na região Sul da Bahia. O II Seminário da Agenda Socioambiental Quilombola é parte da etapa final das atividades do projeto Agenda Socioambiental Quilombola do Vale do Ribeira, sob a execução do ISA e com financiamento do FNMA desde 2006.
ISA, Kátia Pacheco.

ESTREIOU NO BRASIL O FILME KIRIKOU - OS ANIMAIS SELVAGENS

Finalmente a Europa Filmes lança nos cinemas, contudo, sómente em algumas salas de São Paulo. A maioria das pessoas vão ter que esperar até o lançamento do DVD. para saber quais os cinemas que estão passando Kirikou clique aqui.

Para ver algumas imagens (em formato GIF) do filme clique aqui.

Para ver e baixar o trailer do filme vá para a postagem KIRIKOU NOS CINEMAS.

Kirikou - Os Animais Selvagens
Celso Sabadin
Retirado do site yahoo! cinema

Em 1998, o roteirista, cineasta e animador francês Michel Ocelot encantou o mundo (bom, pelo menos o mundo ligado no circuito alternativo de cinema) com seu longa de estréia, Kiriku e a Feiticeira. De traços simples, idéias ágeis e recheado de cultura africana, o desenho animado ganhou mais de uma dezena de indicações e prêmios em vários festivais mundiais, principalmente os de animação e os ligados à temática infantil.


Dois anos mais tarde, Ocelot lançou o também encantador Príncipes e Princesas, contando histórias mágicas por meio de desenhos silhuetados não menos mágicos, mas sem o reconhecimento popular do seu trabalho anterior. Em 2005, foi a vez de Kirikou - Os Animais Selvagens, antes de, em 2006, o cineasta se superar com o hipnotizante As Aventuras de Azur e Asmar, uma fábula mergulhada na cultura muçulmana.

No circuito brasileiro, Azur e Asmar foi exibido antes de Kirikou - Os Animais Selvagens, que agora desembarca por aqui com a grafia original (“Kirikou”), que havia sido simplificada para “Kiriku” no filme de 98. Mas, afinal, quem é Kirikou (ou Kiriku?). Trata-se de um garotinho africano que, literalmente, já nasceu falando. Apesar de bem pequenino, o precoce Kirikou é extremamente inteligente e nunca se deixa abater pelas dificuldades da vida, por maiores que elas possam parecer. No primeiro filme, ele salva sua aldeia da terrível bruxa Karaba. A saga prossegue nesta continuação: Karaba ainda quer destruir a aldeia do pequeno africano, lançando sobre ela as mais diferentes pragas, feitiços e maldições. Mas, munido de alto astral, inteligência e uma saudável molecagem, Kirikou tira tudo de letra.

São histórias simples que acompanham a ingênua simplicidade do traço de Ocelot. E é justamente neste despojamento naïf que reside o encanto do filme. Assim como Kirikou resiste à bruxa, Ocelot resiste à sedução da tecnologia 3D “estilo Pixar”. Ele é um contador de histórias à moda antiga, do tipo que ainda manda flores e que faz questão de cooptar como co-autor de seus filmes a sempre vívida imaginação de quem os assiste. Crianças ou adultos, tanto faz: Kirikou - Os Animais Selvagens é um filme para toda a família, para todas as idades. Aliás, já passou da hora de parar de se rotular desenho animado como filme para criança.

A lamentar, somente o fato das canções originais em francês não terem sido pelo menos legendadas nas cópias dubladas em português que estão sendo distribuídas no Brasil. Quem não entender o idioma vai perder um pouco do filme.

FESTIVAL DO RIO


"Grandes reportagens têm nome e sobrenome: Stanley Nelson (foto) é diretor e produtor de documentários e programas de TV tão importantes quanto Jonestown: Vida e morte no Templo do Povo, sobre o pastor Jim Jones e o suicídio em massa na Guiana, e Marcus Garvey: No olho do furacão, a respeito do líder que comandou nas décadas de 1910 e 1920 o maior movimento negro de todos os tempos. A Mostra Stanley Nelson vai prestar uma homenagem a este americano que, aos 52 anos, já ganhou diversos prêmios que reafirmam seu pensamento independente e sua capacidade de mergulhar além da notícia."
Para ler a matéria completa clique na imagem. Abaixo a relação de filmes e salas de cinema.

Mostra: Stanley Nelson

Marcus Garvey: No olho do furacão

Em Exibição
Sexta - 28/09/2007
Caixa Cultural 2
16:45:00 hs
Sábado - 29/09/2007
C.C. Justiça Federal
20:30:00 hs
Domingo - 30/09/2007
Caixa Cultural 2
19:15:00 hs


A IMPRENSA NEGRA AMERICANA: UM COMBATE SEM TRÉGUAS

Em Exibição
Quinta - 27/09/2007
Caixa Cultural 2
16:45:00 hs
Sexta - 28/09/2007
C.C. Justiça Federal
18:30:00 hs
Sábado - 29/09/2007
Caixa Cultural 2
14:15:00 hs


UM LUGAR SÓ NOSSO

Em Exibição
Sexta - 28/09/2007
Caixa Cultural 2
14:15:00 hs
Sábado - 29/09/2007
Caixa Cultural 2
19:15:00 hs
Quinta - 04/10/2007
C.C. Justiça Federal
16:15:00 hs


O ASSASSINATO DE EMMETT TILL

Em Exibição
Quinta - 27/09/2007
Caixa Cultural 2
19:15:00 hs
Domingo - 30/09/2007
Caixa Cultural 2
14:15:00 hs
Quinta - 04/10/2007
C.C. Justiça Federal
18:30:00 hs


JONESTOWN: VIDA E MORTE NO TEMPLO DO POVO

Em Exibição
Sexta - 28/09/2007
Caixa Cultural 2
19:15:00 hs
Domingo - 30/09/2007
Caixa Cultural 2
16:45:00 hs
Quinta - 04/10/2007
C.C. Justiça Federal
14:00:00 hs

Publicações da Organização Internacional do Trabalho


Relatórios da pesquisa da OIT (Organização Internacional do Trabalho) sobre "Igualdade no trabalho: enfrentando os desafios".
Para baixar clique na imagens ao lado, sendo a da esquera a pesquisa completa dos países latino-americanos e a da direita o suplemento Basil. Pode clicar também nestes links alternativos
n°1 e n°2



Esta publicação é um relatório das atividades do Programa GRPE entre outubro de 2003 e junho de 2006 no Brasil.
Entre outros objetivos ressaltamos este trecho do prefácio: "O apoio à criação e ao fortalecimento de instâncias de diálogo e concertação social; e o desenvolvimento da base de conhecimento sobre as inter-relações entre pobreza, emprego, gênero e raça, por meio da elaboração de vários estudos sobre esses temas."
Clique na imagem para baixar a pesquisa ou neste link.



Bom o nome já e auto-explicativo: "Tráfico de pessoas para fins de exploração sexual."


Clique na imagem para baixar a pesquisa ou neste link alternativo.


A imagem acima faz parte de um slide disponibilizado pela OIT. Produido com muita qualidade ele traz informações importantes sobre esta mazela mundial. O arquivo pode ser baixado de gaça e está zipado na pagína da OIT. Para baixar clique na imagem ou neste link alternativo.

Algumas publicações são enviadas de graça por correio. Para saber como solicitar publicações, clique aqui.

terça-feira, 18 de setembro de 2007

SAMBA DE RODA DO RECÔNCAVO BAIANO FOI REGISTRADO COMO PATRIMÔNIO CULTURAL DO BRASIL

Gostei muito do designer da pagína, contudo ela é um pouco fraca de informações. O legal é que podemos escutar on line várias músicas do CD.
Para ir para pagína clique na imagem abaixo e para ir para as músicas clique aqui.




O samba de roda do recôncavo baiano foi registrado como Patrimônio Cultural do Brasil pelo Iphan em 2004 e proclamado Obra-Prima do Patrimônio Oral e Imaterial da Humanidade pela Unesco em 2005.Estes títulos foram alcançados a partir de pesquisa fomentada e supervisionada pelo Iphan/MinC.

O lançamento do CD Samba de Roda Patrimônio da Humanidade, em parceria com a Amafro, é uma das ações previstas pelo Iphan para o auxílio à continuidade desta forma de expressão.

Programa de Bolsas de Liderança (LFP 2)

Essa notícia foi recebida por email, depois deuma olhada rapída nos sites possíveis não foi encontrado nenhum cartaz ou maiores informações. Se quiser é só clicar nos links abaixo:
http://www.wkkf.org/Default.aspx?LanguageID=2
http://www.laspau.harvard.edu/

No primeiro link só parte do site está traduzido para o portugês e enquanto o segundo só é possível ler em inglês. A melhor opção então é colar as partes que se quer ler no endereço no tradutor postado no blog.


Programa de Bolsas de Liderança (LFP 2)
É com grande satisfação que anunciamos a convocatória de Declaração de Interesse para o segundo Programa de Bolsas de Liderança, patrocinado pela Fundação W. K. Kellogg (WKKF) por três anos. Durante o Programa, a LASPAU irá selecionar até 30 líderes do campo do desenvolvimento social da América Latina e Caribe que irão receber bolsas de estudo para programas de mestrado, doutorado e cursos de curta duração.

Candidatos das seguintes regiões terão prioridade: Nordeste do Brasil; Região Andina (Bolívia, Ecuador e Peru); e o sul de México, América Central, Haiti e a República Dominicana. Durante o período 2007-2008, serão oferecidas aproximadamente de 10 a 15 bolsas de estudo para pós-graduação. Serão aceitas inscrições para programas de estudo nos Estados Unidos, no Canadá, na Europa ou na América Latina (exceto o país de origem ou de residência do candidato). Não serão aceitas inscrições para programas de educação à distância.

Áreas de estudo

Os candidatos devem propor programas de estudo nas áreas mencionadas abaixo:

· Programas de Ph.D. (até três anos de financiamento)
Programas de doutorado em Estudos de Desenvolvimento focados nos seguintes temas: Pobreza, Exclusão Social (com ênfase em etnicidade, racismo ou gênero), Distribuição de Renda, Políticas Sociais, Alianças Setorais para o Desenvolvimento Local (setor privado, ONGs, governo, partidos políticos, cooperação internacional)

· Programas de Mestrado (até dois anos de financiamento)
Mestrados em Estudos de Desenvolvimento focados nos seguintes temas:
1. Filantropia e Desenvolvimento, Alianças Setorais para o Desenvolvimento Local (setor privado, ONGs, governo, partidos políticos, cooperação internacional)
2. Pobreza, Políticas Sociais, Etnicidade e Racismo
3. Desenvolvimento Socioeconômico e Inclusão Social
4. Estratégias para o Desenvolvimento Local (Juventude, Famílias e Comunidades; Remessas de Dinheiro; Associações Locais)

· Cursos de Curta Duração (até um ano de financiamento)
Programas de certificação focados nos seguintes temas:
1. Filantropia e Desenvolvimento
2. Alianças Setorais para o Desenvolvimento Local (setor privado, ONG, governo, partidos políticos, cooperação internacional, etc.)
3. Etnicidade, Racismo e Gênero
4. Políticas Sociais
5. Estratégias para o Desenvolvimento Local (Juventude, Famílias e Comunidades)
6. Estratégias de Sobrevivência e Oportunidades para o Desenvolvimento (Migração e Remessas de Dinheiro)

Requisitos

1. O programa é para profissionais com um mínimo de cinco anos de experiência na liderança de projetos locais de desenvolvimento.
2. A preferência dada aos candidatos vinculados a organizações parceiras da Fundação W. K. Kellogg, mas não exclusivamente.
3. Demonstrada capacidade de liderança e currículo acadêmico adequado são pré-requisitos.
4. Os candidatos devem ser cidadãos de países da América Latina e o Caribe e de preferência das seguintes áreas: PGA 1—Sul de México, América Central, Haiti e a República Dominicana; PGA 2— Nordeste do Brasil; e PGA 3— Zona Andina (Bolívia, Ecuador, e Peru)

Capacidade linguística

1. Os candidatos devem estar aptos para demonstrar sua capacidade no idioma relevante para o programa de estudo proposto.
2. A LASPAU aconselhará os candidatos e os ajudará com as provas de idioma requeridas.
3. Os candidatos selecionados quem não possuírem o domínio mínimo necessário do idioma poderão receber até três meses de treinamento para o aperfeiçoamento do mesmo.

O prazo para envio dos documentos é até 30 de setembro de 2007

Os interessados devem enviar uma Declaração de Interesse para a LASPAU que inclue os seguintes documentos:

1. Curriculum vitae detalhado
2. Proposta acadêmica, indicando o programa de estudo desejado (área de estudo, titulação, país em que pretende realizar o programa, calendário)
3. Ensaio curto (1-2 paginas) sobre qual o impacto que o programa de estudo terá no seu futuro enquanto líder.
4. Três cartas de recomendação (profissional) que descrevam a experiência profissional do candidato, capacidade de liderança e potencial acadêmico.
5. Ensaio breve (2-3 paginas) sobre sua experiência enquanto líder em um projeto de desenvolvimento.

Todos os documentos devem ser enviados eletronicamente para James P. Ito-Adler: james_ito-adler@ harvard.edu

Após a avaliação dos documentos listados acima, um pequeno grupo será selecionado para a etapa de entrevistas. A maioria dos candidatos selecionados deverá dar início ao programa de estudo em Janeiro/08, Março/08 ou Setembro/08. O processo de colocação acadêmica será realizado pela LASPAU tomando em consideração as preferências dos candidatos na medida do possível. A decisão final será da LASPAU.

Benefícios

· Bolsa mensal para manutenção
· Verba limitada para dependentes
· Cobertura das taxas acadêmicas
· Seguro saúde
· Viagem Internacional
· Verba limitada para gastos com livros, conferências, pesquisa, etc.
· Participação no Seminário sobre Liderança Social realizado em Cambridge, Massachusetts, EUA.


Para obter maiores informações, ou enviar a documentação requerida, favor entrar em contato com:


James P. Ito-Adler, Ph.D.
Program Officer
LASPAU: Academic and Professional Programs for the Americas
25 Mt. Auburn St.
Cambridge, MA 02138, USA
tel. +1 617-495-1044
fax. +1 617-495-8990
e-mail: james_ito-adler@ harvard.edu

GOVERNO PROMETE PAC PARA QUILOMBOLAS

Por Júlia Gaspar, especial para a Rets.

O PAC dos Quilombolas surge com o objetivo de reestruturar os programas relacionados às comunidades descendentes de escravos, com a facilitação do acesso aos recursos relacionados às atividades produtivas, atenção à saúde, educação, saneamento e questão fundiária (delimitação e titulação das áreas quilombolas).



“O programa será lançado em setembro, mas a revelação do tamanho do repasse e de quantas comunidades quilombolas serão beneficiadas acontecerá apenas no dia da solenidade de divulgação do PAC Quilombola”, garante a diretora da subsecretaria de políticas para comunidades tradicionais da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), Maria Palmira. Ela afirma que a data exata da cerimônia ainda depende da agenda do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva. Maria Palmira admite que já tem todas as informações sobre o programa, mas, por enquanto, a única coisa que pode revelar é que o lançamento acontecerá em Brasília e ainda este mês.





Para ler o artigo na íntegra clique aqui

ENCONTRO PARA DISCUSSÃO DA POLÍTICA MUNICIPAL DE SAÚDE DA POPULAÇÃO NEGRA E OUTRAS MINORIAS ÉTNICO-RACIAIS.

Data: 19/09/2007.
Das 13:30 horas às 18:00 horas
Local: Auditório Covisa – 10º andar Rua Santa Isabel, 181 – Vila Buarque.


Conforme as resoluções da 1ª e 2ª Conferências Municipais de Saúde da População Negra ocorridas em São Paulo nos anos de 2003 e 2006 a gestão da temática étnico-racial deverá ser formulada e monitorada por meio de uma Comissão de Saúde da População Negra vinculada ao Conselho Municipal de Saúde e por um Comitê Técnico-Cientí fico, instituído em junho de 2006 pela Portaria nº 907/SMS com o nome de Comitê Assessor de Política e Consensos Técnicos de Saúde da População Negra e Outras Minorias Étnicas e Raciais. A 2ª Conferência também propõe que essas duas instâncias, Comitê Técnico-Cientí fico e a Comissão de Saúde da População Negra atuem junto ao gabinete do Secretário de Saúde sugerindo, acompanhando, monitorando e avaliando a implementação de políticas de saúde com recorte étnico-racial em todo município de São Paulo.
Especificamente, cabe ao Comitê apoiar a Secretaria Municipal da Saúde na articulação de seus órgãos com a sociedade civil e demais setores que a compõem, a fim de contribuir na formulação das diretrizes e prioridades de ação no âmbito da saúde da população negra e outras minorias étnicas e raciais, respeitando e fortalecendo os princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde – SUS, bem como as diretrizes propostas pela SMS.


Este evento tem como objetivos:
Apresentar para primeira discussão as propostas formuladas pela Área Técnica de Saúde População Negra e os diversos seguimentos que o compõem;


Discutir a Política Municipal de Saúde da População Negra e Outras Minorias Étnicas no Contexto das políticas nacionais e estaduais de saúde de população negra.

PROGRAMAÇÃO
As 13:30 horas
Abertura
Saudação Ecumênica

As 14:00 horas
Mesa de Abertura
14:30 horas
Painel – Breves Reflexões acerca do impacto da implementação da Política Nacional de Saúde da População Negra nos Estados e Municípios
PAINEL - Apresentação DA POLÍTICA MUNICIPAL DE SAÚDE DA POPULAÇÃO NEGRA E OUTRAS MINORIAS ÉTNICAS.

Realização:
Área Técnica de Saúde da População Negra/CODEPPS
Comissão Municipal de Direitos Humanos
Comitê Assessor de Política e Consensos Técnicos de Saúde da População Negra e Outras Minorias Étnicas e Raciais.

Apoio:
Áreas Técnicas da Coordenação de Desenvolvimento de Programas e Políticas de Saúde –
CODEPPS